Como ocorre o processo de formação do preço do Leite?

20-04-2021 13:39:54 Por:

Como ocorre o processo de formação do preço do Leite?
O processo de formação do preço do leite mensal contempla o valor pago pelo mercado consumidor aos produtos lácteos, menos os custos de produção dos produtores e da indústria. A diferença encontrada é o valor para ser distribuído entre produtores e indústrias.

Nos últimos anos surgiu nos estados do Sul os Conselhos Estaduais do Leite (Conseleite) entidade formada por várias instituições representativas do segmento leite, como produtores, agroindústrias cooperativas não cooperativas e, inclusive, o Governo do Estado. No Rio Grande do Sul, contratou-se a Universidade de Passo Fundo (UPF) que, com base em metodologia científica, realiza estudos mensais embasados em notas fiscais de venda de lácteos pelas agroindústrias, no custo de produção da indústria e no custo de produção dos produtores.


Na prática, essa metodologia analisa a rentabilidade ou a perda obtida na atividade leiteira. O resultado obtido é dividido em duas partes: se houver lucro, parte destina-se aos produtores e outra para a indústria, valendo o mesmo quando ocorre prejuízo. Assim, o preço sugerido pelo Conseleite para pagamento aos produtores é o resultado desse estudo, porém, trata-se de uma sugestão, e não é obrigatória a adoção pela indústria, ou seja, não precisa ser cumprido, pois trata-se de um preço referência: assim, a indústria pode pagar mais ou menos e, quando o Conseleite sugere R$ 1,3786 por litro de leite entregue em março de 2021, o que é insuficiente para cobrir os custos do produtor, significa que o negócio está ruim tanto para produtores quanto para a agroindústria.

Se a cadeia estivesse sendo rentável e lucrativa, provavelmente estaria sugerindo um valor mais alto para o produtor. Assim, é fácil entender se a cadeia produtiva leiteira está bem ou mal: o preço sugestão indica isso e, quando o Conseleite divulga um preço baixo, insuficiente para o produtor, é sinal que a indústria também não tem sobra e o preço na rede de varejo está muito baixo.


Dificilmente a indústria repassa aos produtores o preço sugestão do Conseleite, normalmente paga mais, até porque sabe que se repassar um valor insuficiente para a cobertura dos custos, os produtores acumulam prejuízos, param de produzir e logo a indústria não terá matéria-prima para industrializar. Em épocas de crise, as indústrias pagam valores superiores aos sugeridos pelo Conseleite, na tentativa de não deixar acumular prejuízos para o produtor, esperando que a situação melhore e, assim, consiga recuperar as perdas acumuladas no período.

Contudo, não sabemos quanto as agroindústrias pagam, mas no caso da Cooperativa Dália Alimentos, o preço do leite pago aos associados está, em média, R$ 1,9039 por litro, mais R$ 0,1225 de frete, totalizando R$ 2,0264 por litro de leite entregue. Assim, a Dália está absorvendo todo o prejuízo da cadeia leiteira e permite que seus produtores mantenham seu negócio com mais estabilidade. Isso significa que a diferença entre o preço sugestão do Conseleite (R$ 1,3716) e o realmente pago pela Dália (R$ 2,0264) foi assumido pela cooperativa.


Cada cooperativa traça sua estratégia para evitar que seus associados entrem em dificuldades e, com frequência, operam com preços de sustentação da atividade, assegurando uma situação melhor para os produtores. Sem dúvidas, onde há cooperativas realmente preocupadas com seus associados, tais decisões estratégicas são fundamentais para a manutenção da rentabilidade de seus associados.

As informações são da Assessoria de Imprensa Cooperativa Dália Alimentos.