Emater-MG leva novas tecnologias a pecuaristas de Santa Rita de Caldas, no Sul de Minas

22-04-2021 10:47:46 Por:

Emater-MG leva novas tecnologias a pecuaristas de Santa Rita de Caldas, no Sul de Minas
Uma iniciativa da Emater-MG tem ajudado na divulgação de novas tecnologias voltadas para a pecuária leiteira em Santa Rita de Caldas, no Sul de Minas. No município, foram implantadas duas unidades demonstrativas onde os produtores interessados podem acompanhar de perto o desenvolvimento de práticas como o sistema Integração Lavoura e Pecuária, pastejo rotacionado e melhoramento genético. 

“A atividade leiteira é a principal da agropecuária do município. Por isso, achamos interessantes essas unidades de referência para mostrar como lidar da melhor maneira com a pecuária leiteira e para o produtor ter um bom retorno”, afirma o extensionista da Emater-MG Rodrigo Beck Júnior, que conta com o apoio dos coordenadores regionais Marcelo Bomfim e Marcelo Martins. O técnico da empresa ainda ressalta a importância da iniciativa para a divulgação de novas tecnologias para outros produtores.


As duas unidades obtiveram resultados semelhantes, como a recuperação de pastagem degradada, melhoria da alimentação do rebanho, aumento da qualidade e volume do leite produzido. Outro benefício foi a redução do custo de produção. Uma das unidades fica na propriedade do produtor Áureo Cássio de Carvalho. Após a implantação das novas tecnologias, a produção da fazenda passou de 130 litros diários para 800 litros por dia. A meta para o próximo ano é chegar a 1.200 litros por dia, com 60 vacas em lactação.

Uma das práticas utilizadas pelo produtor a partir da orientação de Emater-MG é o sistema Integração Lavoura e Pecuária (ILP). Em uma área de 20 hectares, ele plantou milho consorciado com braquiária. O milho, além de custear o processo de implantação, garante o manejo da fertilidade do solo. A ideia é possibilitar uma forma sustentável, que integra atividade agrícola e pecuária, para produção de grãos, carne e leite. 

“Aqui tinha muita erosão e a braquiária era amarelada. Hoje, o pasto tá bonito, acabaram a erosão e as pragas. Eu consegui renovar a pastagem sem custo”, diz Áureo de Carvalho.


Em outra área da propriedade, Áureo optou pelo pastejo rotacionado. Neste caso, o pasto é dividido em piquetes (pequenas áreas cercadas), possibilitando uma rotatividade durante a alimentação do rebanho. Geralmente, os animais ficam um dia em cada piquete e só retornam à mesma área quando o capim estiver no ponto ideal para ser consumido, sem comprometer a rebrota. “Diminuiu o consumo de silagem no cocho, de ração e aumentou a produtividade das vacas em dois litros por dia”, conta o pecuarista.

O produtor também investiu no melhoramento genético do seu rebanho, no início com inseminação artificial e, recentemente, por meio da transferência de embrião. Por essa técnica, embriões de fêmeas doadoras (animais com padrão genético superior) são transferidos para as vacas receptoras (chamadas de barriga de aluguel).

Áureo de Carvalho adquiriu embriões girolando ¾ de programas desenvolvidos por uma empresa de laticínios e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). O procedimento resultou no nascimento de 16 novilhas, que estão próximas de completar um ano. “A expectativa é muito grande para aumentar a média de produção e aumentar a saúde do rebanho”, conclui o produtor.


O produtor ainda conta a orientação técnica da Emater-MG no planejamento e gestão da propriedade, a fim de reduzir custos de produção e definir quais os investimentos prioritários. Atualmente Áureo de Carvalho está construindo uma nova sala de ordenha para agilizar o serviço que é realizado apenas por ele e sua esposa. Outra ação é a construção de uma pista de "trato" para as vacas em lactação. O projeto técnico foi elaborado pela Emater-MG.

As informações são da Emater-MG.