SIT debate inovação na pecuária leiteira e na produção de queijo artesanal

04-06-2021 10:40:44

SIT debate inovação na pecuária leiteira e na produção de queijo artesanal
Consenso entre os palestrantes, a necessidade de se enxergar a fazenda como um empreendimento, como uma empresa que pode e deve gerar lucros, o seminário “Pecuária leiteira - Cooperação e inovação no meio rural” trouxe exemplos bem-sucedidos de práticas de gestão da propriedade rural.

A zootecnista Bruna Pereira Leonel, da CCPR (Cooperativa Central dos Produtores Rurais), destacou a importância da inovação e da qualidade no negócio rural. “O produtor deve seguir um processo de rotina impecável em sua atividade, e nosso papel, como cooperativa, é oferecer o máximo de ferramentas possíveis para que possamos avançar”, destacou.


Práticas bem-sucedidas na administração rural foram apresentadas pelo presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Pompéu Paulo Henrique Lino. “A grande evolução está no gerenciamento da fazenda. O produtor deve enxergar sua propriedade como empresa. Não é só uma pequena mudança, mas alterações em tudo. É preciso ter controle de caixa, saber o que entra, o que sai, monitorar tudo o tempo todo”, defendeu.

Queijo do Serro - O cooperativismo e a busca por capacitações na fabricação artesanal do queijo de leite cru da região do Serro, reconhecida e certificada em 2011 com a Indicação de Procedência (IP), concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), foram apresentados pelo presidente da Cooperativa dos Produtores Rurais do Serro Carlos da Silveira Dumont.

Hoje, a certificação confere uma proteção ao produto, trazendo agregação de valor. Todo produtor que usar a marca “Serro” deve seguir as normas de fabricação do queijo, mantidas pela Associação dos Produtores Artesanais de Queijo do Serro (Apaqs). “Em busca de inovação, além de vendermos nosso tradicional queijo, queremos vender história. Cada embalagem trará um QR code que mostrará a trajetória da família produtora e como a cooperativa contribuiu para esse crescimento”, disse.


Manoel Jair Pimenta Júnior, extensionista da Emater-MG que atua no escritório do município do Serro, explica que uma das principais demandas dos produtores rurais da região é a fabricação do queijo artesanal. “Orientamos os produtores nas etapas de certificação no IMA - Instituto Mineiro de Agropecuária - além de zelarmos continuamente na prevenção de doenças como a aftosa e a brucelose”.

O papel da pesquisa foi apresentado por Fernando Antônio Resplande Magalhães, lotado no Instituto de Laticínios Cândido Tostes, em Juiz de Fora-MG. O pesquisador deu ênfase aos cursos de curta duração oferecidos pela instituição, focados no processo artesanal de fabricação do queijo, além de apresentar toda a estrutura disponível no Instituto. Confira aqui.


13ª SIT - Seminário "Pecuária leiteira - Cooperação e inovação no meio rural"

As informações são da Embrapa Milho e Sorgo. Foto: Clenio Araujo / Embrapa.