Preço do leite pago ao produtor de Mato Grosso mais próximo da média Brasil

04-08-2021 11:06:38 Por: Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária

Preço do leite pago ao produtor de Mato Grosso mais próximo da média Brasil
Desde o início de 2021, o preço do leite pago ao produtor de Mato Grosso vem se aproximando da média Brasil. Em jun.21, o diferencial de base MT-SP avançou 2,55 p.p. e apresentou uma diferença de apenas -12,49%. Com o avanço do período da seca no estado, a queda na captação da matéria-prima elevou os preços praticados no campo.

Nesse sentido o preço médio MT aumentou 8,14% em relação ao mês anterior, cotado ao valor médio de R$ 2,02/l em jul.21, enquanto o preço médio brasileiro de leite exibiu um acréscimo de 5,00% no mesmo período, sendo cotado a R$ 2,31/l, segundo o Cepea. Apesar da baixa oferta de leite em alguns estados, o movimento de alta na média Brasil perdeu impulso devido a menor demanda por lácteos por parte do consumidor final. Nos próximos meses, a diferença de preços entre as duas praças pode se estreitar ainda mais devido à intensificação do período de estiagem em MT.

Com a forte concorrência entre os laticínios para assegurar a compra de leite em um contexto de oferta limitada no campo, o preço do UHT exibiu alta mensal de 2,56%. Em jun.21, o índice de captação reduziu 9,01% ante o mês anterior. Esse cenário segue pautado pela menor oferta de matéria-prima no campo. Com o aumento no preço do leite pago ao produtor, a relação de troca leite/milho recuou 14,76%, sendo necessários 35,09 l para adquirir uma saca do cereal.

Em jul.21, o Imea divulgou as novas estimativas do Valor Bruto da Produção da Agropecuária de Mato Grosso. As informações apresentadas apontam para um aumento no VBP da pecuária de leite, sendo projetado um acréscimo de 20,25% em 2020 e 3,56% em 2021. Em relação aos indicadores que compõem os resultados, destacaram-se os preços praticados no campo. Para se ter ideia, em 2020 a média do preço do litro do leite pago ao produtor foi de R$ 1,38/l, reflexo de uma maior demanda de lácteos no último trimestre daquele ano.


Já em 2021, as projeções para os preços no campo permaneceram em alta mesmo com a redução da demanda, puxado pelo decréscimo de 5,41% na captação da matéria-prima. Logo, com a entrada do período de entressafra e a redução da oferta de leite, os preços se elevaram até atingirem o patamar atual, sendo projetada uma média anual de R$ 1,51/l. Por fim, com o avanço do período de estiagem, o preço no campo deve seguir como principal balizador do VBP da pecuária de leite.