Frio intenso e custos em alta desafiam produtores de leite em julho

20-08-2021 10:13:06 Por: Caio Monteiro em Boletim do Leite Cepea

Frio intenso e custos em alta desafiam produtores de leite em julho
O Custo Operacional Efetivo (COE) da pecuária leiteira aumentou 1,26% em julho na “Média Brasil” (BA, GO, MG, PR, RS, SC e SP), influenciado pelas altas nos preços dos adubos e dos suplementos minerais, de 7,93% e 3,78% respectivamente, entre junho e julho. De janeiro a julho de 2021, o COE acumula elevação de 12,90%. O cenário continua desafiador para produtores, especialmente em regiões onde os danos causados pelas geadas nas forragens foram severos.

Quanto aos fertilizantes, a firme demanda para a próxima safra 2021/22, a valorização de 4,76% do dólar de junho para julho e o encarecimento dos fretes elevaram por mais um mês as cotações. De janeiro a julho, o grupo de adubos e corretivos se valorizou 37,73%. A alta nos preços dos adubos eleva as despesas com a fertilidade do solo para a safra 2021/22, e, assim, produtores já encaram um cenário de aumento nos custos com a produção dos volumosos para 2022.


Os preços dos suplementos minerais também subiram em relação a junho. Nesse caso, além da alta dos fretes, a demanda aumentou devido à perda na qualidade das forragens, em razão das geadas no Centro-Sul do País. Esse cenário de piora das pastagens acabou levando produtores a adotarem novas estratégias de suplementação para evitar uma perda maior no desempenho dos animais. Na parcial deste ano, os suplementos minerais se valorizaram 20,03% na “média Brasil”. Os estados que apresentam avanços mais expressivos nos custos com suplementos até o momento são Bahia (33,04%), Minas Gerais (30,89%) e Paraná (23,58%).

O grupo das rações e dos concentrados registrou valorizações de 0,32% e de 11,7% nas comparações mensal e anual na “média Brasil”. Os avanços mais significativos entre junho e julho foram verificados em Santa Catarina (2,38%), São Paulo (1,87%) e Minas Gerais (0,32%).

A relação de troca ficou desfavorável ao produtor por mais um mês. Em julho, para a aquisição de uma saca de 60 kg de milho, foram necessários 42,18 litros de leite – contra 41,84 litros no mês anterior. A forte valorização do milho influenciou esse quadro, mesmo com o aumento de 4,99% no preço do litro do leite.