Mesmo com custo alto, preço do leite no campo pode cair em outubro

20-10-2021 10:06:02 Por: Natália Grigol, Boletim do leite Cepea

Mesmo com custo alto, preço do leite no campo pode cair em outubro
O preço do leite captado em agosto e pago aos produtores em setembro atingiu R$ 2,3827/litro na “Média Brasil” líquida do Cepea, alta de quase 1% sobre o do mês anterior, em termos nominais. Contudo, para este mês de outubro, a expectativa dos agentes de mercado consultados pelo Cepea é de que o valor do leite captado em setembro se enfraqueça, mesmo diante dos elevados custos de produção.

Por conta da sazonalidade da produção, é típico que se observe queda de preços no campo entre setembro e outubro – meses em que a produção leiteira geralmente é favorecida pelo retorno das chuvas da primavera e pela consequente melhoria da qualidade das pastagens. Com o aumento da oferta, os preços tendem a cair. Contudo, neste ano, a recuperação da produção tem acontecido de forma mais lenta, tendo em vista a intensa estiagem e insumos da atividade bem mais caros.

Uma vez que o incremento na oferta ainda deve ocorrer de forma limitada, a possível queda no preço do leite ao produtor em outubro também se explica pela maior dificuldade das indústrias em repassar a alta do preço da matéria-prima para o consumidor.


A demanda por derivados lácteos não reagiu como esperado pelos agentes – que previam que a retomada de atividades presenciais pudesse sustentar as cotações dos lácteos em elevados patamares. Entretanto, a crescente perda no poder de compra do consumidor tem desacelerado as vendas de derivados desde meados de agosto. Com demanda enfraquecida e pressão dos canais de distribuição, os estoques se elevaram, forçando as indústrias a reduzirem os preços.

Diante disso, as negociações do leite spot em Minas Gerais perderam força em setembro, e os preços caíram de R$ 2,58/litro, na primeira quinzena, para R$ 2,50/litro na segunda, recuo de 3%. O movimento de desvalorização continuou em outubro, e a média recuou mais 6,5%, chegando a R$ 2,34/litro na primeira quinzena deste mês.

O aumento dos preços no campo e os elevados valores dos derivados também estimularam as importações de lácteos. Dados da Comex mostram que o volume importado de lácteos cresceu 23,5% do segundo para o terceiro trimestre deste ano. Ainda assim, a quantidade adquirida é 44% menor do que a do mesmo período de 2020, devido ao dólar e aos preços internacionais elevados.