Dia de Campo aborda Programa Leite Seguro e a qualificação da produção de leite e derivados no Sul do país

12-11-2021 10:54:37 Por: Pedro de Almeida, Embrapa. Foto: Fly Câmera.

Dia de Campo aborda Programa Leite Seguro e a qualificação da produção de leite e derivados no Sul do país
Em 17 de novembro, a Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS) promove a 9ª edição do Dia de Campo do Leite, em parceria com o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (LDFA) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Neste ano, sob o tema “Leite Seguro: do Produtor ao Consumidor”, o evento será realizado virtualmente pelo canal da Embrapa no YouTube, a partir das 18h. As inscrições no evento podem ser efetuadas através do portal da Embrapa.

Tradicionalmente, o Dia de Campo é realizado de forma presencial. Mas, em 2020, por conta da pandemia, a atividade foi suspensa. Neste ano, o evento integra as ações do Programa Leite Seguro, trazendo seus cinco eixos à programação: Segurança do Leite e Boas Práticas Agropecuárias; Pesquisa em resíduos e contaminantes; Transferência de Tecnologias; Tecnologia da Informação - Fluxo informações; e Consumidores – Benefícios de consumo e consumo consciente. 

Para mostrar na prática as atividades das cinco estações temáticas, serão apresentados vídeos didáticos previamente gravados no campo, laboratório e tambo. As apresentações das estações serão conduzidas ao vivo por seus coordenadores. No fim de cada uma, os especialistas responderão aos questionamentos da audiência.

Publicação - Cada eixo temático será detalhado na publicação “Programa Leite Seguro: Segurança, Qualidade e Integridade de Leite e Produtos Lácteos Sul-brasileiros para Alimentação Saudável e Proteção ao Consumidor", que será lançada no fim do evento. Este material será disponibilizado gratuitamente a quem tiver efetuado a inscrição.

Programa Leite Seguro - Lançado oficialmente na Expointer, em 2019, o Programa Leite Seguro promove ações de pesquisa e capacitação, diagnósticos e desenvolvimento de soluções que melhorem a gestão interna das propriedades leiteiras. As propriedades parceiras recebem acompanhamento técnico do Programa, que visa aumentar a segurança, qualidade e integridade do leite e derivados no Sul do Brasil. 
 
O projeto também busca facilitar o acesso a informações sobre os lácteos, para ajudar as pessoas a tomar decisões de consumo mais conscientes. A iniciativa obteve financiamento de 30,5 milhões de reais, por meio de edital do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD) do Ministério da Justiça e Segurança Pública.
 
A importância da Região Sul para a produção de leite - A competitividade da cadeia produtiva do leite depende da produção e processamento do leite com qualidade e segurança, tanto para aumento do consumo no país, como das exportações de lácteos. Segundo a equipe do Projeto, os principais gargalos para aumento de competitividade do leite brasileiro são: baixos níveis de produtividade, altos custos de produção e de capital, sanidade do rebanho, baixa qualidade média do leite e limitações de infraestrutura (energia, saneamento, comunicação e transporte). “Apesar de avanços, a complexidade desses desafios requer pesquisa, desenvolvimento e inovação de ponta para gerar tecnologias e soluções de melhoria contínua dos sistemas produtivos”, explica o coordenador do Leite Seguro, Marcelo Bonnet.
 
A Região Sul, onde está localizada a Embrapa Clima Temperado, é a maior produtora nacional de leite, possuindo condições altamente apropriadas à produção e industrialização láctea de alta qualidade, como topografia predominantemente plana; abundância de água e potencial para produção de alimentos de alta qualidade para os animais; distribuição regular de chuvas; temperaturas amenas; elevado potencial de geração de energia sustentável; e ampla disponibilidade de profissionais competentes.
 
“A Região Sul do RS tem localização geopoliticamente estratégica no cone Sul, privilegiada com pelo menos um porto marítimo de grande porte (Rio Grande) e com rápida expansão de malhas de transporte (rodovias, ferrovias e aeroportos). Essas condições privilegiadas contribuem para o avanço do setor lácteo na região e oportunizam pesquisa, desenvolvimento e inovação de excelência única na Embrapa Clima Temperado, como também para regiões mais distantes do país, como Centro-oeste, Nordeste e Norte”, completa a pesquisadora Maira Zanela, da área de qualidade do leite.

As informações são do Embrapa.