CNA e Federações discutem situação do mercado leiteiro

23-11-2021 08:47:47 Por: CNA Brasil

CNA e Federações discutem situação do mercado leiteiro
A Comissão Nacional de Pecuária de Leite da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizou, na segunda (22), a última reunião do ano para discutir, entre outros temas, a situação do mercado de leite nas diferentes regiões frente à safra 2021/2022.

Segundo representantes das federações de agricultura dos estados, os produtores de leite estão preocupados com os elevados custos de produção, principalmente em razão da demanda por grãos e cereais, que segue aquecida no mundo todo.

“O momento exige cautela por parte do pecuarista. Com as cotações de grãos em alta, o produtor deve ficar atento e se planejar antes de fazer altos investimentos”, afirmou o presidente da Comissão, Ronei Volpi.

Para Volpi, o setor produtivo precisa se unir e discutir estratégias para melhorar a previsibilidade do preço do leite pago ao produtor, garantindo a margem no cálculo dos custos de produção.

Outro assunto discutido na reunião foram as ações e conquistas da CNA e de outras entidades do setor, em benefício do setor leiteiro, como a publicação da Medida Provisória 1064, que instituiu o Programa de Venda de Milho em Balcão e a prorrogação da isenção da Tarifa Externa Comum (TEC) e do PIS/Cofins para importação de milho.

O assessor técnico da Confederação, Guilherme Dias, também citou a renovação da captação de leite entre indústrias com diferentes inspeções até 31/12/2021 e a aprovação do Projeto de Lei 3292/20, que estabelece cota para a compra de leite fluido no valor de 40% do total de verbas destinadas pelo FNDE.

Dias destacou ainda a 1ª Semana do Leite e Derivados, campanha lançada no dia 4 de novembro pelo Ministério da Agricultura, a live “Agregação de valor na pecuária leiteira”, realizada pelo Sistema CNA/Senar, além da liberação de dados da qualidade do leite nacional.

Durante a reunião, a chefe geral da Embrapa Gado de Leite, Elizabeth Nogueira Fernandes, apresentou as perspectivas e alinhamento da nova gestão da Embrapa Gado de Leite com foco no setor produtivo e as contribuições da entidade para a descarbonização da agropecuária, frente os desafios da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26).

Elizabeth também falou sobre o programa de melhoramento genético da entidade, com enfoque em diversas áreas, como persistência da lactação; longevidade animal; resistência ao carrapato e ao estresse térmico.

As informações são do CNA Brasil.