CNA discute desafios para a cadeira produtiva do leite

10-12-2021 10:54:30 Por: Assessoria de Comunicação CNA

CNA discute desafios para a cadeira produtiva do leite
A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) discutiu, na quinta (9), os desafios para a cadeia produtiva do leite em audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados.

O assessor técnico da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da CNA, Guilherme Souza Dias, falou sobre as dificuldades enfrentadas pelos produtores como a alta nos custos de produção e da inflação, que tem reduzido o poder de compra do consumidor.

“Temos os insumos dolarizados e receita em reais, o que comprime as margens do produtor. A ração é um dos principais componentes do custo de produção, abocanhando cerca de 45% da receita recebida pelo produtor por litro de leite”, afirmou.

“A cadeia é altamente dependente do mercado interno. Se a economia vai bem, a cadeia vai bem também. No entanto, é importante destacar que a inflação que os produtos lácteos vêm enfrentando no mercado é de custos e não de demanda”, ressaltou.

Dias destacou que é importante discutir políticas de enfrentamento aos problemas da cadeia produtiva e pontuou algumas propostas da CNA como a aprovação dos Projetos de Lei 5925/2019, que trata da desoneração de rações e suplementos para bovinos, e o 4199/2020 (BR do Mar), que possibilitará a diversificação da matriz de transporte ao gerar escala e diluição dos custos.

O assessor citou ainda a possibilidade de alteração da Lei do Agro (n.º 13.986/2020) para disponibilizar subvenção também às opções de compra de milho, a Medida Provisória nº 1064/2021, que estabelece o Programa de Venda de Milho em Balcão, a ampliação do orçamento para o Seguro Rural e estratégias de defesa comercial, por meio do PL nº 952/2019, que limita a importação de leite em pó a produtos com 70% do prazo de validade vigente.

A audiência também ouviu representantes dos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia; e das Associações Brasileiras dos Produtores de Leite (Abraleite), de Leite Longa Vida (ABLV), das Indústrias de Queijo (Abiq) e das Pequenas e Médias Cooperativas e Empresas de Laticínios (G100).

As informações são da Assessoria de Comunicação CNA.